quarta-feira, 29 de agosto de 2012

3º Encontro dos Blogs Campistas - Joanópolis/SP (24, 25 e 26/08/2012)


Quando decidimos retomar nossas atividades campistas neste ano, encontrar uma turma que organizava um encontro dos blogs sobre camping veio bem a calhar.
Ficamos um pouco inseguros com relação à receptividade do pessoal, afinal, não sabíamos como funcionavam esses encontros, se era um grupo fechado, se precisavamos cumprir algum pré-requisito, etc.
Mas mesmo assim decidimos participar !

Logo nos primeiros contatos com a turma, ainda virtualmente, todos os receios cairam ao chão.
Imediatamente todos, sem exceção, se mostraram muito receptivos, empolgados com a nossa vontade de participar e divertidos.

A partir daí trocamos algumas mensagens até que combinarmos com o Daniel e com o Tiago de nos encontrarmos no posto Graal de Mairiporã às margens da Rod. Fernão Dias. Pois não sabiamos chegar no camping, e como o Tiago sabia o caminho, nos facilitaria esse “combio”.

O horário combinado foi 20h. No começo da nossa viagem já estávamos apreensivos com o trânsito.
Decidimos sair direto do trabalho, sendo assim, saímos do bairro do Ipiranga por volta das 18:30.
Foi então que, durante bons quilômetros do começo do caminho por São Paulo, quase que por milagre, não paramos em nenhum congestionamento.
São Paulo é um caos numa sexta-feira quente por volta das 17h...acho que isso todos já conhecem.

Decidimos seguir pela Rod. Dutra até a saída para a Fernão Dias; nesse entroncamento toda a calma e paz do trânsito livre acabou.
Um verdadeiro mar de luzes vermelhas invadiu nosso pára brisa. Já era 19:30, restava 30 minutos até chegarmos ao ponto de encontro.

Resumo da ópera: Feito britanicos encostamos o carro no estacionamento do posto de gasolina e desligamos a chave exatamente às 20h.
Foi quando pensei: Como vou saber onde eles estão.

Pegamos o celular e ligamos para o Daniel: “Daniel, tudo bem? É o Danilo. Já chegamos aqui no posto. Vocês estão onde?”
Ele: “Estamos aqui no posto também! Vou descer do carro para você me ver.”
Eu: “Daniel, olhe em linha reta !”.
Conseguimos parar os carros, por coincidência total, a menos de 2 metros. Praticamente janela com janela.

Dali nos apresentamos e pronto, estava feita a conexão. Ficamos conversando (Danilo, Rose, Daniel e Camila) enquanto aguardávamos o Tiago, sua esposa Mariana e o filho deles Pietro chegarem.
Eles chegaram logo depois, foi legal conhecê-los, bons de papo e aventureiros.

Dali seguimos para Joanópolis.

Minhas impressões sobre o caminho (Danilo):

- Fernão Dias à noite não é um dos caminhos mais tranquilos. A quantidade de caminhões é grande e o movimento também. Para quem não está acostumado com isso, prefira viajar de dia. Eu não ví perigo algum, mas pode ser tenso para quem não gosta muito de estradas.
- A saída para Joanópolis é bem sinalizada e fácil. Sem problema algum !
- Após algum período trafegando, haverá um cruzamento (uma intersecção) com a estrada que leva até a cidade. Fácil de identificar no local (pelo google Street View não dá para ver), siga pela esquerda.
- O trecho inicial é bem sinuoso, mas iluminado e bem sinalizado.
- Passará por um bairro (ou seria uma pequena cidade?).
- Dali para frente, a estrada não é mais iluminada e há mais curvas, fortes aclives e declives.
- Chegará a Joanópolis, suba um trecho de paralelepípedo até a 3ª rua, entre nela e siga até o fim, ela se juntará com o trecho de estrada que você deve seguir.
- Nesse novo trecho, mais curvas, subidas e descidas (observando pelo Google, não parece muito longe. Mas por ser muito sinuoso, a velocidade média se torna baixa e com isso demora para chegar).
- Siga sempre pelo caminho asfaltado.
- A entrada para o camping não é muito difícil de identificar. Veja essa ilustração abaixo (vindo pela estrada, seta vermelha).

No camping, logo de chegada conhecemos um casal de amigos do Daniel e da Camila, a Elen e o Reinaldo.
Montamos nossa pequena barraca, uma 2 seconds da Quechua (comprada na Decathlon exatamente para acampamentos de curta duração, uns 2 ou 3 dia) ao lado deles.
E como fizemos com ela da última vez que acampamos, montamos sob um gazebo bem leve que temos da NorthPole (comprado aintigamente no Sam’s Club). Isso ajuda a proteger a barraca do sol e de possíveis dejetos de pássaros e seiva de árvores (isso detona a impermeabilização da barraca; Dica: Se quiser conservar a sua barraca. sempre que possível use algo sobre ela. Pode ser um gazebo, uma lona leve, etc.).


Nossa Quechua 2" sob o Gazebo. (clique para ampliar)

Colchão cheio, cobertores e edredons à postos, tralhas prontas e montadas, hora de explorar o local e fazer amizades.
Durante a noite toda nós 6 (Daniel, Camila, Reinaldo, Elen, eu e Rose) ficamos conversando por horas até que Rose foi dormir lá pelas 23:50 e eu fiquei alí até às 2:15 mais ou menos. O frio estava castigando os menos protegidos. Nós, como fomos preparados, não sentimos muito.
Fui tomar banho àquela hora da madrugada.
No camping Zé Roque, o banho é um atrativo que merece destaque.
A água passa por uma serpentina dentro do fogão à lenha e é armazanada uma caixa d’água. Resumo: Água quentíssima a noite toda.
Tomar banho nesse sistema é algo muito bom, não há barulho e o chuveiro não é do tipo “pinga-pinga”. Fantástico ! 
Finalizando, fui dormir com aquele som do rio passando à nossa "porta". (parece chuva, mas não é...ufa!)

Rio passando na "porta" (Foto diurna, a noite não saiu nada na foto = escuro)

No dia seguinte, nos juntamos novamentes aos vizinhos, nossos novos amigos.

O Reinaldo preparou um café excelente na cafeteira italiana do Daniel. Nota 10, pois o café era feito em porções individuais, o que nos obrigava a esperar bastante tempo pelo próximo café, assim ficamos um bom tempo conversando sobre tudo.

O sábado rendeu bastante, fomos até a queda da Cachoeira dos Pretos, o acesso até ela é excelente. Para quem está acampando, o acesso é livre (não precisa pagar nada).


 O caminho até ela é muito bonito, dentro do camping mesmo (coisa de alguns metros).

Querem saber, chamar tudo aquilo de camping é errado. Na verdade é um ótimo sítio onde há uma área para camping e um complexo com lojinhas, lanchonetes e restaurantes ótimos ao pé de uma cachoeira altíssima e fantástica. Tudo muito bem cuidado e limpo.


Camila e Daniel fazendo ligações (na região não há sinal para celular)

Rose dando uma de mendiga !



Dica: Compre queijos por lá, seja o queijo feito pela esposa do Zé Roque ou na Casa de Pães que está cituada ali perto (telhado redondo verde).

 
 
Tem até umas cachacinhas ali...




 Aproveitamos para destacar a receptividade, bom humor e cordialidade da Cristina, ela em todo momento estava disposta a nos ajudar e nos atender bem. Excelente pessoa !


Após essa passeio inicial, bateu uma fome. Voltamos ao gazebo para mais churrasco.


Daniel e o seu inseparável Narguile !



Reinaldo, o churrasqueiro oficial !

Ficamos nesse ritmo até o fim do dia.


No domingo, logo pela manhã, novo café bem gostoso (compramos um queijo por lá e preparamos com pão - recomendamos)

Um pouco depois, o Ricardo do blog Camping e Família (campingefamilia.blogspot.com) promoveu o sorteio dos prêmios da Mundo Terra (www.mundoterra.com.br), nosso apoiador.



Os ganhadores !

Muita gente ganhou, a Rose mesmo faturou uma barraca de 2 lugares bem legal !

 Após o sorteio, decidimos partir para o topo da cachoeira graças ao convite do nosso amigo Jonas (Jaime).
Uma subia e tanto, difícil e cansativa com sol na cabeça, mas compensatória.

 Rose se preparando para encarar a subida !

Chegamos na primeira queda !



Visual lá de cima !



Água geladíssima !






Alguns preferem subir de Jeep !
 

 Após todo o sacrifício da subida, o visual compensou. Recomendadíssima a subida, seja de Jeep, cavalo ou à pé (não vá de cavalo, ele não precisa sofrer por você - Não judie dos animais).

Importante: Tenha muito cuidado na descida. O terreno é arenoso e repleto de pedras já arredondadas por tanto atrito com os pneus dos jeeps. Isso faz com que seja escorregadio e perigoso.

A afirmação acima se fez necessária pois, de tudo que estava acontecendo de maneira maravilhosa, no fim do dia ocorreu uma coisa muito ruim.
A Camila, namorada do Daniel, escorregou na descida e sofreu um grave acidente.
Ela fraturou o pé (já foi operada e passa bem).

Registrei esse momento triste (não queria publicar essas fotos, mas acho que servirão de alerta):

O Daniel subiu para chamar um Jeep para nos ajudar !




Que sirva de lição. CUIDADO PARA DESCER MONTANHAS
A DESCIDA É MAIS PERIGOSA QUE A SUBIDA.

Em resumo, foi um final de semana excelente, com tudo o que poderia acontecer de bom; Ótimas companhias, diversão e muitas paisagens bonitas.



Até a próxima !










sexta-feira, 24 de agosto de 2012




Essa foto e esse printscreen do Google Maps (tem link nele para o site) tem única função de avisar os motoristas-campistas mais desatentos sobre o caminho para os melhores campings de São Paulo.

Sempre que alguém vai para essa região a partir de São Paulo numa "primeira viagem" vem sempre perguntar:
"Mas qual é a saída para outra estrada depois que sai da Bandeirantes". 
Então vamos explicar de modo prático:
A saída da rodovia Bandeirantes é a do Km 59.
Ela te levará pela rota dos campings que estão próximos da rodovia SP-300 (rod. Dom Gabriel Paulino Bueno Couto - Antigamente chamada de Marechal Rondon).
Camping Cabreúva, Camping das Pedras, Camping Casarão, Camping Chapéu de Sol, etc.
Após acessar essa saída, a 59 da Bandeirantes, haverá uma leve subida, no topo dessa elevação existe uma bifurcação. Para direita você tem Itatiba (o que não é o caminho), para esquerda você tem Itu: O caminho para os campings é o da ESQUERDA no topo dessa saída, sentido Itu.
Inicialmente haverá umas indústrias, depois de alguns poucos quilômetros a paisagem muda e você faz um verdadeiro passeio por essa rota.

Vou colocar um link para vocês ver os acessos para os principais campings dessa região a partir da rodovia SP-300:

Camping Cabreúva



Ao sair da Rod.Bandeirantes e seguir pela SP-300, terá que seguir até o Km 92, depois da curva haverá um acesso à direita, siga por ele e faça o retorno para voltar pela SP-300.
Depois são poucos metros até o acesso ao camping. Dali para frente é fácil, o fim da estradinha leva a um dos maiores campings de São Paulo.
Bom proveito !


Camping Casarão
 Ao sair da Rod.Bandeirantes e seguir pela SP-300, terá que seguir por cerca de 30 km até a saída 97, seguir (há um cruzamento, siga reto sempre subindo sentido viaduto) e fazer o retorno e voltar até o km 95... já é a entrada do camping. Entrar à direita e seguir por estrada de terra por 3,5 km. 


Camping das Pedras
Ao sair da Rod.Bandeirantes e seguir pela SP-300, terá que seguir e fazer um retorno depois da ponte sobre o rio, voltar pela mesma SP-300 para ter acesso a entrada do camping (que está do outro lado, por isso o retorno).
Não é difícil de achar, mas requer certa atenção nesse conjunto de retornos. (Dica: Procure por placas indicando Jundiaí).


Camping Chapéu de Sol

Ao sair da Rod.Bandeirantes e seguir pela SP-300, terá que seguir até um hipermercado grande (Extra) junto ao Shopping, para facilitar, é exatamente numa rotatória grande onde você avistará o complexo do shopping ao fundo. Saia pela direita logo que entrar na rotatória, exatamente nesse ponto (ali onde estão umas placas).
Ao chegar na próxima rotatória, entre a direita.
Siga até o fim de uma subida onde haverá um muro (fundo de um condomínio) até a caixa d'água.
Nesse ponto, vire e siga pela direita.

Passe a ponte sobre a rodovia e siga um pouco mais, haverá uma bifurcação, siga pela esquerda.
Pronto, você chegará na entrada do camping.

Camping Alemão
Ao sair da Rod.Bandeirantes e seguir pela SP-300, terá que seguir até um conjunto de retorno depois da ponte sobre o rio, alí terá que acessar a SP-312 (Estrada dos Romeiros). Há placas indicando.
Não é difícil de achar, mas requer certa atenção nesse conjunto de retornos.
(Dica: Procure por placas indicando Estrada Parque).
Seguindo, encontrará uma ponte estreita, um pouco mais a diante, à direita, o acesso para a Estrada dos Romeiros.
Rode alguns quilômetros por esse caminho até avistar um acesso (portaira com uma foca). Você chegou !





Pelo mesmo caminho da SP-300 dá para seguir até o Camping Paineiras, se bem que o melhor é outro caminho. Mas vamos deixar esse para outro post.


Qualquer dúvida, pode perguntar aqui mesmo no blog.
Boa viagem, boma camping e bom divertimento !

 Danilo e Rose.



quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Iniciativa positiva ! Encontro de campistas.


Descobri um grupo muito legal que está organizando o III Encontro dos Blogs Campistas.
Mais informações em: http://www.facebook.com/groups/470212636331470/ 


Trata-se de um pessoal muito disposto a acampar e fazer amigos.
Vamos conhecê-los no encontro.

O mais legal de tudo isso é que, apesar de enfrentarmos uma das piores crises no segmento do campismo aqui no Brasil, há pessoas com iniciativas bem importantes. Isso seguramente vai gerar mudanças muito positivas daqui para frente.


A Loja Mundo Terra é uma dessa com iniciativa.
Uma excelente loja que apoiará o encontro de blogs!




Como vão nos apoiar? Eu não sei.
Os organizadores do encontro dizem que haverá uma surpresa, e só quem for ao encontro vai ficar sabendo!


Se você está receoso assim como nós, faça como estamos fazendo.
Juntem suas tralhas e vamos nos encontrar lá no evento.

Até agora são 50 pessoas confirmadas!

Haverá um "comboio" partindo do Posto Graal logo após a cidade de Mairiporã às 20:00 da sexta feira. Se quiser nos acompanhar, vamos nessa. (eu farei o possível para chegar nesse ponto de encontro)


O site da MUNDO TERRA é completíssimo.
Acesse agora mesmo e confira as novidades e todos os equipamentos para Camping e mais.
Os preços são excelentes e os produtos também, dá vontade de comprar um monte de coisas.


Além da loja virtual eles contam com 4 lojas físicas:
Moema: Tel: (11) 5051-4473 - Al. dos Nhambiquaras, 809
Pinheiros: Tel: (11) 3037-7195 - Av. Pedroso de Moraes, 1085
Higienópolis: Tel: (11) 3257-9520 - Rua Maria Antônia, 80
Campinas:
Tel: (19) 3365-1511 - Rua Santa Cruz, 45
Desde já agradecemos a Mundo Terra pelo incentivo e parceria.

Curta a pagina da Mundo Terra também no Facebook!
http://www.facebook.com/lojasmundoterra


Um abraço.
 Danilo e Rose.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012



Para nós, há 4 itens indispensáveis para um local destinado ao campismo ter sucesso, são eles:

- Cordialidade dos funcionários (um bom atendimento salva qualquer camping);
- Segurança (rondas noturnas ou monitoramento do perímetro entorno ao camping);
- Limpeza das dependências (principalmente banheiros e piscinas, se houver);
- Cumprimento do regulamento interno (principalmente no quesito som alto - volume de aparelhos de som e similares).

É claro que há outros pontos (nivelamento, drenagem, quantidade de sombras, etc), mas esses podem ser relevados em detrimento desses acima citados.

Não temos razão?

Um abraço.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Camping Villaggio Riviera - 01/2007

Fim de tarde no Camping Villaggio Riviera - 01/2007

Chega a ser triste imaginar como possivelmente está hoje em dia o camping Villiggio Riviera em  Ilha Comprida/SP.
O site deles não está mais no ar: www.villaggioriviera.com.br (site que ficou por 7 anos com um anúncio de vende-se oferecendo o local)

Pela internet, ninguém mais comenta nada, nem mesmo no excelente site do sempre guerreiro Marcos Pivari , o Macamp: /www.macamp.com.br/_Campings/SP-IlhaComprida-Riviera.htm há qualquer atualização ou comentário sobre esse que foi um dos campings mais bem localizados que eu já vi.
Quando estivemos lá em janeiro de 2007, a decadente e quase abandonada estrutura nos assustou um pouco.
Um camping completamente vazio e mesmo sem aparentemente ninguém por dias os banheiros estavam horríveis, pouca coisa funcionando e higiene da qual me recuso a detalhar.
Como este é meu primeiro post neste blog comentando efetivamente sobre um camping, quero deixar claro que não sou lá o que se pode chamar de exigente, chato ou coisa que o valha. Gosto de estruturas simples, não ligo para frescuras.
Mas o caso desse banheiro que citei, estava lamentável mesmo.

No mais, uma área de camping muito ampla e totalmente arborizada com pinheiros antigos e enormes. Um espetáculo de sombra diante de um mar e uma praia muito bacana.

Houve outro ponto ruim, a segurança. Quando chegamos pela noite de sexta-feira, não havia ninguém no camping, exceto um rapaz dormindo numa cadeira.
Chegamos, entramos, olhamos tudo e o rapaz sequer acordou.
O camping é todo murado em seu perímetro, porém um muro de menos de 1 metro de altura e um portão que fica sempre aberto.
Na lateral do terreno, havia aprox. 6 chalés para locação, até que bem arrumados, e no fundo do terreno um verdadeiro abandono geral no que demonstrava uma tentativa de expansão do negócio. Aproximadamente mais 6 chalés, todos abandonados em ruínas.

Exceto pelo banheiro e pela falta de segurança, o acampamento foi excelente.
Não tivemos qualquer problema com nada (não vou lembrar que minha esposa Rose esquecera a caixa com todas as comidas em casa, ou seja, por sorte a ilha conta com diversos mercadinhos, o que salvou nossa pátria – dá-lhe macarrão).


quarta-feira, 8 de agosto de 2012




É claro que o primeiro post de um blog é normalmente aquele onde todo blogueiro explica que pretende atualizar periodicamente o espaço com novidades, notícias, histórias e aventuras. E eu não sou diferente.

Os meus pais foram campistas nos anos de 1960/1970. Eu vendo fotos daquela época e sempre conversando com eles garanto: Aquilo sim é que era aventura !

Eu vim ao mundo num momento onde a atividade campista talvez estivesse num momento de estabilidade, nos anos de 1980. Após isso, só decaiu (Campings do CCB sucateados, muitos outros campings fechando, etc).
Nessa época, ainda criança, acampei com meus pais algumas poucas vezes. Confesso que lembro muito pouco, talvez 1 ou 2 acampadas; Uma delas num camping em Jaguariuna/SP (meus pais afirmam ser o Ringos Camping, eu obviamente não lembro o nome).

Passados alguns bons anos sem sequer pisar num camping, em 2006 decidi retomar o campismo em minha vida, agora com minha esposa (em 2006 ainda namoravamos).
Da lá para cá, hoje (2012) com 32 anos, casado e sem filhos, acampei digamos, algumas boas vezes (nem contei ainda, mas acho que mais de 10).

Não sou nenhum especialista nisso, mas claro que passei por muitas coisas legais, perrengues e histórias deliciosas. Todas as vezes em campings que denomino "Campings de lazer". Acho "Camping selvagem" (aquele no meio do mato mesmo) algo muito arriscado para os dias atuais.

Vou tentar relembrar aqui algumas dessas acampadas e é claro, deixar registrado o que virá daqui para frente.

Forte abraço.

Danilo e Rose